Sem sementes Bt, produtores brasileiros podem perder R$ 86 bilhões em 10 anos


08/03/2019

O Conselho de Informação em Biotecnologia publicou um estudo que demonstra os benefícios da tecnologia Bt para as culturas de algodão, milho e soja geneticamente modificados.

A tecnologia de resistência a insetos, inserida nas sementes Bt de algodão, milho e soja por meio da transgenia, se perder a eficiência, pode fazer com que os agricultores brasileiros deixem de lucrar R$ 86 bilhões na próxima década. Esse lucro adicional seria composto por R$ 70,5 bilhões vindos do aumento de produtividade esperado e R$ 15,8 bilhões em função da queda no custo de produção. Os dados compõem o estudo “Impactos econômicos e socioambientais da tecnologia de plantas resistentes a insetos no Brasil: análise histórica, perspectivas e desafios futuros”, divulgado hoje (28/01). Ainda de acordo com o levantamento, desde 2005 até 2018, as sementes de algodão, milho e soja resistentes a insetos, geraram um lucro adicional de R$ 21,5 bilhões para os agricultores. O trabalho, conduzido pelo Conselho de Informações sobre Biotecnologia (CIB) em parceria com a Agroconsult, avaliou lavouras de algodão, milho e soja resistentes a insetos e as comparou com aquelas que não contam com a proteção oferecida pelas variedades transgênicas.

O estudo completo está disponível no link abaixo.

https://cib.org.br/impactos-do-bt/

Categoria: Biotecnologia