Parte 3. Quão perigoso é o glifosato?


22/02/2019

Embora a biodegradação e toxicidade dos pesticidas diminuiu ao longo dos anos, muitos consumidores estão ainda preocupados com o uso dos pesticidas. Eles estão especialmente preocupados com pesticidas específicos que são retratados como perigosos pelos meios de comunicação. E o mais importante entre eles é o glifosato.

O glifosato (Roundup™) é perigoso?

Glifosato (o ingrediente ativo do Roundup™) chamou a atenção da mídia nos últimos anos, pois grupos contra o uso de pesticidas, tem mencionado o glifosato como sendo tóxico e perigoso. Mas, estudo após estudo, o glifosato mostrou que é um dos herbicidas menos tóxicos no mercado e que não se acumula no solo. Onde se encaixa o glifosato para o contexto de todos os pesticidas atuais? Como comparar a toxicidade do glifosato com a de outros pesticidas? E como comparar a toxicidade do glifosato com a de outras substâncias comuns?

Quão perigoso é o glifosato?

Por exemplo, a cafeína possui toxicidade aguda dez vezes maior do que o glifosato.

Comparado com outros pesticidas e até mesmo substâncias que encontramos em alimentos e bebidas comuns, como a cafeína ou a vitamina D, o glifosato é baixo em toxicidade.

Naturalmente, a segurança e a saúde dos seres humanos, dos animais, e do ambiente são criticamente importantes. O uso de pesticidas específicos sempre precisa ser ponderado contra a alternativa: quais pesticidas alternativos serão utilizados se um for banido? São determinados pesticidas que permitem práticas agrícolas mais sustentáveis que serão interrompidas se forem utilizados outros pesticidas?

No caso do glifosato, possíveis proibições de glifosato em países europeus podem levar a práticas agrícolas menos sustentável, juntamente com o possível uso de pesticidas mais tóxicos. Especificamente, o glifosato é uma maneira eficaz de preparar os campos para semeadura por se livrar das ervas daninhas e plantas de cobertura. Com o uso de glifosato, os agricultores utilizam o sistema de plantio direto. Prática que contribui para diminuir a erosão, aumenta a biodiversidade de insetos e animais no solo e contribui para uma menor liberação de gases de efeito estufa na atmosfera. Portanto, proibir o glifosato pode realmente levar à uma diminuição de práticas agrícolas sustentáveis. O balanceamento dos prós e contras da utilização dos pesticidas e sua interação com práticas agrícolas é necessário independentemente de serem pesticidas orgânicos ou sintéticos. 

Categoria: Sustentabilidade